propriedade Palmland.jpg
meio ambiente.png
fauna palmland.png

Compromisso e Respeito com o Meio Ambiente

 

A Fazenda Palmland destina ao cultivo do Palmito Pupunha uma área de 10 hectares, mantendo áreas preservadas (APP e Reserva Florestal) em índices acima dos exigidos por Lei, por considerar de suma importância para manutenção da Fauna e Flora da região, mantendo assim as qualidades do habitat e ecossistema existentes.

 

Licenciamento Ambiental

 

O Brasil é um país composto por ecossistemas distintos e diversificados. Dentre eles destaca-se a Mata Atlântica, mas atualmente é o ecossistema mais afetado pela fragmentação e desmatamento, restando menos de 16% de sua cobertura vegetal original.

 

O Estado de São Paulo foi um dos que mais sofreu com o desmatamento florestal, mas ainda hoje abriga um dos maiores contínuos de remanescentes da Mata Atlântica do Brasil, sendo que seus principais remanescentes se concentram na escarpa da Serra do Mar, na Serra da Mantiqueira e Região do Vale do Ribeira, onde localiza-se o Município de Pariquera-Açu.

Em um projeto solicitado pela Fazenda Palmland e realizado por empresa especializada, foi elaborado um diagnóstico da fauna silvestre da propriedade para fins de Licenciamento Ambiental com base nas diretrizes da Resolução SMA 86/2009 e Decisão de Diretoria n.º 167/2015-C / CETESB.

 

A área destinado ao estudo corresponde à área total da propriedade de 32,70 hectares além de áreas preservadas no entorno, que estão inserida na zona de amortecimento de 10 km do Parque Estadual Campina do Encantado, uma Unidade de Conservação de proteção integral, localizada em zona rural do Município de Pariquera-Açu.

 

Durante os trabalhos de campo realizados entre os meses de Abril a Maio de 2018, foram utilizadas diversas metodologias de pesquisa com o objetivo de identificar e caracterizar os principais grupos silvestres presentes na área.

 

Os dados coletados foram plotados e todos os grupos de animais foram identificados ao nível de gênero e espécies, confrontando-os com as Listas de Espécies Ameaçadas de Extinção presentes no Estado de São Paulo através do Decreto Estadual n.º 60.133/2014 e Listas de Espécies Ameaçadas de Extinção em nível nacional, publicado em 18 de dezembro de 2014 no Diário Oficial da União, através da Portaria n.º 444/2014

 

De maneira geral, observou-se uma rica diversidade e diversas espécies endêmicas da mata atlântica no trecho estudado. Tratam-se de espécies muitas vezes sensíveis às perturbações ambientais, além de espécies ameaçadas de extinção em listas oficiais.